Orçamento - Ou você controla seu dinheiro, ou ele comanda sua vida! |


“Gastar menos do que ganha”, você já deve ter ouvido, lido, escutado essa frase em algum lugar, mas a pergunta que não quer calar, “Você gasta menos do que ganha?”.

Essa frase é a pedra fundamental para iniciarmos o assunto sobre orçamento.

Segundo o Arquivo de Riqueza n° 14 do livro O Segredo das mentes milionárias de T. Harv Eker, “As pessoas ricas administram bem o seu dinheiro. As pessoas de mentalidade pobre administram mal o seu dinheiro”.

Qual a melhor forma de controlar o seu dinheiro? É administrando-o de forma eficiente, sem medo do dinheiro ou pensamentos do tipo “controle me tira liberdade” ou “não tenho dinheiro suficiente para controlar”.

Partimos da premissa que “Qualquer controle é melhor que nada” igual “1 é maior que 0”, vamos iniciar então.

Quando eu era mais novo, não tinha esse pensamento de controle de gastos, até tinha, mas não funcionava, exemplo disso foram as diversas vezes que tive de pegar empréstimos para sanar uma dívida, tomei muita porrada por causa disso.

O porque disse é simples de responder, naquela época (imagino que muitos pensam assim) eu não tinha consciência de que o meu dinheiro seria útil no futuro, eu vivia o momento presente e o meu dinheiro também, amanhã era outra história, eu dava um jeito ou fazia outro empréstimo (aff, dei muito dinheiro pro Banco do Brasil e Sicoob).

Seguindo meu exemplo, ou melhor, só tirando de aprendizado, (segue esse exemplo passado não,rsrsr), precisamos ter um orçamento bem feito e com todas as variáveis bem distribuídas e definidas.

O primeiro passo é identificar todos os seus gastos, anotar em um papel mesmo, pegar todas as suas contas do mês, o que gastou no cartão e anotar tudo (é chato, mas vai te ajudar e muito). Anotando o que você gastou e não somente pensando nas despesas de modo geral, vai mudar a forma de você ver as coisas.

Depois de levantado seus gastos é hora de identificar os tipos, o que é essencial (Luz, Aluguel, Condomínio, Água, Saúde, Escola...) e o que é supérfluo (Bebidas, Festas, roupas de marca, celular caro, luxos diversos...).

Nunca fuja da hora de pegar o papel, caneta e abrir sua conta corrente ou app do cartão, tenha tudo anotado, dessa forma facilita e muito você ter a noção de cada gasto (Use a planilha que eu criei para te ajudar a controlar esses gastos, o link está na página principal).

“Sou casada(o) e faço o controle dos gastos sozinha(o), meu companheiro(a) não quer nem ver!”, nesse caso ai temos um outro exemplo parecido com o “1 maior que 0”, nesse caso é “1 maior que -1”, ou seja, você faz o orçamento direitinho e a outra pessoa só quer gastar, comer, fazer festa, FODA-SE pro orçamento, tá ajudando a piorar as coisas. Vocês estão juntos em tudo, seja na alegria seja, na hora de pagar conta. Chame essa outra pessoa para pelo menos ver o orçamento, controle você mesmo(a), mas chame seu parceiro(a) para fazer junto, garanto que vai ajudar e muito.

Como diz o “Camarada Napoleão” de a Revolução dos Bichos de George Orwell, “Todos somos iguais, mas alguns são mais iguais que os outros”, as sugestões de gestão de orçamento não é a mesma para todos.

A frase citada acima, ela não quer dizer sobre a diferenciação das pessoal pelo modo de pensar e viver, mas ela caiu bem no exemplo de que todos somos diferentes. Nela, o autor cita a frase como sendo que alguns tem “liberdades” (Privilégios) mais que outros [Essa é uma ótima indicação de livro].

Como gerir um orçamento de forma a não perder dinheiro e mesmo assim guardar um pouco para o futuro?

Vamos dividir o controle em cinco tópicos, sendo eles:

1.       Necessidade Básica
2.       Reserva Financeiro
3.       Projeto Longo Prazo
4.       Liberdade Financeira
5.       Lazer

Como vamos dividir isso no nosso mês?





Dentro das Necessidades Básicas (55%) vamos incluir as despesas essenciais, tudo aquilo que falamos acima. E o supérfluo, onde entra? Depois que você identificar, cortar e mesmo assim sobrar, podemos incluir ele no Lazer (10%).

“Daniel, você está dizendo pra eu ter 35% da minha renda “poupada”?” SIIIIM e NÃO.

Sim, pois temos de manter o foco no longo prazo, seja ele para projetos (Casamento, Faculdade Filho, Casa, Carro, Viagem) ou para Liberdade Financeira (Aposentadoria) e também cuidar das emergências/oportunidades com o Colchão financeiro.

Não, por que como mencionei, cada pessoa sabe onde o calo aperta, essa porcentagem é um exemplo, você vai definir isso. Lembra que “Qualquer controle é melhor que nada”?

Pois bem, sem mais delongas, encerramos por aqui. O assunto é complexo (as vezes chato mesmo), mas é de suma importância ter esse controle e envolver o seu parceiro(a) se tiver uma vida a dois.

Lembre-se, "1 maior que 0", faça do jeito que for, mas faça esse controle para que possa sobrar dinheiro na sua conta e você começar a investir e ter uma vida mais controlada.

Espero que tenha gostado do artigo. Não esqueça de compartilhar com seus amigos, familiares. Deixe seus comentário, contando seus experiência e opinião, será sempre muito bem vindo.

--
Daniel Freitas
Blog SEU INVESTIMENTO